PUBLICIDADE

Segunda-Feira, 23 de Novembro de 2020

Valdir Raupp e Romero Jucá viram réus na Lava Jato

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Luiz Antonio Bonat aceitou denúncia da Lava Jato e tornou réus os ex-senadores Romero Jucá e Valdir Raupp, do MDB, por corrupção e lavagem de dinheiro em contratos da Transpetro.

A denúncia acusa Jucá de receber R$ 1,3 milhão de propina da NM Engenharia pelo apoio à manutenção Sergio Machado na presidência da Transpetro. O dinheiro foi doado para campanhas eleitorais do ex-senador e políticos do MDB.

Na decisão, Bonat levou em conta comprovantes de depósitos bancários para diretórios do MDB, relatórios de visitas dos políticos à Transpetro, anotações de executivos da NM detalhando como seriam feitos os pagamentos, fotografias mostrando a proximidade de Jucá e Raupp com representantes da construtora.

“Os fatos foram descritos de modo circunstanciado e identificada a forma de participação de cada um dos denunciados […] Os elementos probatórios examinados conferem à denúncia do MPF e seu aditamento substrato probatório suficiente para o recebimento, estando presente a justa causa para a ação penal”, escreveu Bonat na decisão.

A denúncia contra Jucá e Raupp foi apresentada por Rodrigo Janot em 2017 ao STF. Como eles perderam o foro privilegiado, a acusação foi enviada à primeira instância da Justiça Federal. Renan Calheiros já responde como réu pelo mesmo caso no Supremo. As acusações contra José Sarney e Garibaldi Alves Filho foram arquivadas por prescrição.

O outro lado

Em nota, a defesa afirmou que não existe motivo para a denúncia, “tecnicamente falando, o que existe é a palavra de um delator desmoralizado”.

“Nós entendemos que quase certamente, inclusive quando a Polícia Federal terminou o inquérito na primeira fase relativa ao delator Sérgio Machado, ela recomendou à delegada que o Sérgio Machado perdesse os benefícios”, diz.

Valdir Raupp

A defesa do ex-senador negou as acusações e disse que a inocência do político será provada durante a instrução do processo.

Odebrecht

Em nota, a Odebrecht afirmou que está “comprometida com atuação ética, íntegra e transparente” e que “tem colaborado de forma permanente e eficaz com a Justiça para esclarecer fatos que comprovadamente ocorreram no passado”.

A reportagem entrou em contato e aguarda retornos das defesas do MDB e da NM Engenharia.

Fonte: O Antagonista e G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️