PUBLICIDADE

Segunda-Feira, 23 de Novembro de 2020

Assembleia vai alugar hospital, adquirir 13 ambulâncias com UTI e comprar 30 mil cestas básicas

Investimento será de R$ 15 milhões, fruto da economia do orçamento próprio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O presidente Laerte Gomes (PSDB), anunciou na manhã desta quinta-feira (14), durante coletiva de imprensa, através de videoconferência, que a Assembleia Legislativa vai utilizar os recursos economizados do seu orçamento próprio, em pouco mais de um ano de sua gestão, para alugar 61 leitos do Hospital do Amor, em Porto Velho, sendo 12 de UTI, para atender os pacientes acometidos pela Covid-19.

Ele anunciou ainda que serão contratadas 13 ambulâncias equipadas com UTI móvel, para atender 12 municípios, e mais 30 mil cestas básicas serão compradas, sendo 10 mil distribuídas ao mês, durante três meses, para atender às famílias em situação de vulnerabilidade. Inicialmente, a projeção é de um investimento em torno de R$ 15 milhões, entre três a quatro meses de ação, recursos oriundos da economia do orçamento próprio, algo em torno de R$ 50 milhões em pouco mais de um ano.

“Esta coletiva é para anunciar que os deputados tomaram algumas decisões, de forma conjunta nesta quinta-feira, para contribuir com o combate à pandemia de Coronavírus. Desde a questão da saúde, como apoio social para as famílias carentes. Esses recursos foram economizados em pouco mais de um ano. Todos unidos, para contribuir com o Estado, nesse momento muito difícil. que atravessamos. Recebemos o sinal verde dos órgãos de controle, para que possamos dar a nossa contribuição”, disse Laerte.

Leitos

O presidente informou que “o primeiro ponto acordado pelos deputados, é a locação de 61 leitos do Hospital do Amor, na capital, sendo 12 leitos de UTI. Todos os profissionais por conta deles, todos os insumos, todos os equipamentos. Com o aluguel de R$ 2 milhões por mês, durante o tempo que durar a pandemia, para atender aos pacientes com Coronavírus. O Governo vai conveniar com o hospital e a Assembleia vai fazer o pagamento”.

Laerte Gomes disse que “os deputados aprovaram a licitação para a locação de 13 ambulâncias UTI móvel, com motoristas, para atender aos municípios de Vilhena, Cacoal, Rolim de Moura, Pimenta Bueno, Ji-Paraná, São Miguel do Guaporé, Ouro Preto do Oeste, Jaru, Machadinho do Oeste, Buritis e Guajará-Mirim, com uma unidade cada, com aluguel pago por três meses, pela Assembleia, prorrogados por mais 3 meses. Porto Velho receberá duas unidades de UTI móvel”.

O presidente informou que os municípios manifestaram a necessidade das UTI’s móveis e apresentaram as condições técnicas de recebê-las. “Todos solicitaram e se mostraram habilitadas, dentro dos critérios, sendo responsáveis pela montagem das equipes de profissionais. Na semana que vem, abriremos a licitação. Tudo será disponibilizado no portal da transparência da Casa”.

Cestas

Além disso, a Assembleia vai adquirir 30 mil cestas básicas, sendo distribuídas 10 mil por mês, durante três meses. “Vamos acompanhar, pode aumentar esse número, de acordo com a necessidade. Vamos entregar ao SOS Rondônia, num trabalho em parceria, coordenado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), com a distribuição pelo Exército Brasileiro, seguindo critérios sociais estabelecidos pelas prefeituras, que farão o cadastro das famílias”.

Participaram da coletiva os deputados estaduais Ismael Crispin (PSB), Cabo Jhony Paixão (Republicanos) e Cassia Muleta (Podemos). Questionado sobre o atendimento aos mototaxistas, que ficaram impedidos de trabalhar com a pandemia, o deputado Ismael Crispin disse que “o Governo enviou um projeto para a Assembleia, para a distribuição de recursos financeiros direto ao cidadão, na discussão do projeto da SUAS, mas não pode ser incluído os mototaxistas, cabendo ao Governo uma nova análise para atender à categoria, que está impedida de trabalhar e os profissionais sofrendo com a falta de recursos”.

Indagado sobre a preocupação também com a economia, Laerte Gomes declarou que “no mundo, não tem como, líder algum, tomar decisões sozinho. É uma situação nova, que ninguém esperava e nem estava pronto para enfrentá-la. Defendo sempre o diálogo, a busca pelo entendimento, para que possamos juntos, minimizar a grave situação da maioria dos empreendedores”.

O presidente defendeu ainda que haja estrutura regionalizada para enfrentar a pandemia do Coronavírus, para Vilhena, Ariquemes e Ji-Paraná, não apenas mantendo Cacoal e Porto Velho como centros de tratamento, como tem sido hoje. “Ao meu ver, precisa ser feito um trabalho de imediato, caso a doença avance ainda mais. Não faz sentido trazer um paciente do Cone Sul para ser atendido em Cacoal, precisa ser atendido em Vilhena”.

Questionado sobre a necessidade de se apoiar os servidores da saúde, que atuam na linha de frente no atendimento aos pacientes com Covid-19, Laerte Gomes disse que “os deputados já fizeram indicações e sugestões ao Governo nesse sentido. É preciso dar uma remuneração maior, uma gratificação, um mecanismo para valorizar os servidores da saúde que estão expostos na linha de frente dessa guerra contra o Coronavírus. Temos recebido reclamações dos profissionais, sobre a falta de EPI. As pessoas precisam cuidar da saúde dos pacientes, mas precisam também ter a sua saúde protegida”.

 

Fonte: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️