PUBLICIDADE

Quarta-Feira, 25 de Novembro de 2020

Rondônia recebe segunda etapa da Operação Verde Brasil

A Operação Verde Brasil 2 tem atuação efetiva na Floresta Nacional de Jacundá, em Rondônia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A autorização para emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e para ações subsidiárias vai de 11 de maio a 10 de junho. A determinação presidencial está publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020.

As ações vão ocorrer na faixa de fronteira, nas terras indígenas, nas unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas federais nos Estados da Amazônia Legal. Está autorizada ainda a atuação das Forças Armadas nos estados da Amazônia Legal que vierem a apresentar requerimento, levando em consideração que Acre, Mato Grosso e Rondônia já solicitaram.

Para isso, o Ministério da Defesa, de acordo com a Diretriz Ministerial 09/2020, de 7 de maio, ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), para atuar na área englobada pelos estados do Acre, Rondônia e Sul do Estado do Amazonas; Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), que atua em Mato Grosso; e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), que cobre a área englobada pelo Estado do Pará.

A missão desempenhada pelas Forças Armadas é desenvolvida sob coordenação da Vice-Presidência da República e em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública.

O orçamento inicial é de R$ 60 milhões. Até o momento, estão empregados 3,8 mil militares, além de mais de 140 meios de transporte, entre embarcações, viaturas e aeronaves das três Forças de Defesa.

Os meios utilizados pelas Forças Armadas são acrescidos aos dos demais integrantes parceiros da missão. São eles: Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam). O início das atividades envolve deslocamento de pessoal, reconhecimento das áreas de atuação, preparação dos meios e materiais necessários e ações efetivas de combate ao desmatamento.

A princípio a Operação Verde Brasil 2 tem atuação efetiva na Floresta Nacional de Jacundá, em Rondônia, na Estação Ecológica Estadual da região do Rio Rinuro, em Mato Grosso, e no Assentamento Federal Vila União, no Pará.

Com a ação, o Ministério da Defesa do Brasil contribui ainda mais para a proteção e a preservação dessa região que engloba a maior floresta tropical do mundo. Como ocorreu na Operação Verde Brasil deflagrada em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades de GLO dessa missão.

Combate a ilícitos ambientais
O emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), no contexto da Operação Verde Brasil, ocorreu, inicialmente, por meio do Decreto nº 9.985/2019, alterado pelo Decreto nº 10.022/2019.

De 24 de agosto a 24 de outubro de 2019, integrantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, coordenados com órgãos de controle ambiental e de segurança pública, executaram ações para o combate às queimadas e para a repressão ao desmatamento da floresta e do garimpo ilegal.

Em dois meses de Operação, 1835 focos de incêndio foram combatidos. O efetivo empregado chegou, aproximadamente, a 10 mil pessoas, entre militares e integrantes de agências municipais, estaduais e federais. Foram colocadas à disposição 467 viaturas, 37 aeronaves e 159 embarcações. No total, 178 embarcações foram apreendidas e 127 pessoas detidas. Ao todo, 352 termos de infração foram lavrados, o que resultou na aplicação de mais de R$ 140 milhões em multas.

Além disso, os militares destruíram 45 acampamentos ilegais e apreenderam mais de 26 mil litros de combustível, escavadeiras, motosserras e moto-bombas. Foram revistados 1.453 veículos e 1.961 embarcações.

Essas ações ocorreram em parceria com os ministérios do Meio Ambiente, da Justiça e Segurança Pública, das Relações Exteriores, da Cidadania e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Participaram, também, servidores pertencentes ao Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM), ao IBAMA, ao ICMBIO, à FUNAI, à ABIN, à Polícia Federal, à Polícia Rodoviária Federal e à Força Nacional.

A Amazônia Legal é formada pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, e parte do Maranhão. São 5 milhões de quilômetros quadrados, ou 59% de todo o território nacional, todos pertencentes à Bacia Amazônica e à área de ocorrência das vegetações amazônicas.

 

 

 

 

Fonte: Ministério da Defesa

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️