PUBLICIDADE

Domingo, 29 de Novembro de 2020

Polícia e Sedam combatem queimadas, desmatamento e apreendem pé de maconha em Guajará

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Na zona urbana e rural do município de Guajará-Mirim/RO, a Polícia Militar Ambiental juntamente com o Escritório Regional (ERGA/SEDAM – Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental) realizam operação no combate a crimes ambientais. Durante ação, no Comara ocorreu derrubada, queimada e apreensão de plantação de maconha.

No combate ao desmatamento e prevenção de queimadas durante a fiscalização no Ramal da Deilma, proximidades do portão principal ao acesso ao Destacamento Aéreo da Aeronáutica,  coordenadas S -10°47’18” W -65°17’28”, foi localizado um desmatamento. Na averiguação no local, constataram que houve o uso de motosserra e trator, ninguém foi encontrado, os vizinhos não identificaram os autores. Mas quatro pessoas buscaram o Escritório da Sedam e se identificaram como proprietários do lote e responsáveis pela derrubada. Alegaram que o lote foi doação de um amigo que reside na cidade de Porto Velho/RO, porém segundo informações nenhum documento foi apresentado. De acordo com o Comando da 3º Pelotão Militar Ambiental, foi comprovado a prática de crime ambiental previsto no Artigo 50 da Lei Federal 9.605/98, por: destruir, danificar florestas nativas, plantadas, vegetação de dunas e objeto de especial preservação, sendo lavrado para cada um dos autores, os Autos de Infração II n°000265, 000266, 000267 e 000268.

Também na zona rural do município de Guajará-Mirim, mais precisamente nas coordenadas: S -10°47’16” W -65°17’30” foram flagrados três pés plantadas de maconha (cannabis sativa) e uma muda em um recipiente de plástico. Houve tentativa de identificar os autores do desmatamento e responsável pelos pés de maconhas. A Polícia Civil foi informada das plantações e está investigando o caso.

As fiscalizações continuam para fazer cumprir o decreto presidencial nº 10.424, de 15 de julho de 2020, onde fica suspensa a permissão do emprego de fogo em todo o território nacional pelo prazo de 123 dias.

Fonte: O Mamoré

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️