PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 04 de Junho de 2021

Mais de 50 locais de Porto Velho foram fiscalizados na operação Consciência

Dados do aplicativo In loco, registra Rondônia ocupa a terceira posição no ranking entre os Estados que mais respeitam o isolamento social

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) realizou na noite deste sábado (13) a quinta e última edição da Operação Consciência, que tem o objetivo de cumprir o Decreto n° 25.831, que altera e revoga os dispositivos do Decreto nº 25.782, que institui o Sistema de Distanciamento Social Controlado, para fins de prevenção e enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus.

A ação coordenada pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM), utilizou cerca de 63 efetivos, da Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC), Sesdec, Programa de Orientação, Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), sendo utilizadas mais de 20 viaturas para fiscalizar estabelecimentos comerciais e locais públicos que poderiam estar com aglomeração de pessoas. A fiscalização foi feita nas principais zonas da Capital. No total, 53 estabelecimentos foram visitados, sendo que 36 já estavam sem funcionamento, sete receberam Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), quatro foram notificados, dois estabelecimentos autuados, um desativado, dois interditados, entre outras intervenções.

Na pista de caminhada, conhecida por Skate Park, na zona Leste da cidade, foi flagrado um grupo de jovens, que recebeu orientação para irem para casa. Outro flagra de aglomeração foi no Espaço Alternativo, onde vários grupos de pessoas estavam reunidos e consumindo bebida alcoólica. Os integrantes foram orientados a dispersar.

BALANÇO DAS AÇÕES

Quatro operações com estratégias de enfrentamento à pandemia foram realizadas durante os últimos 60 dias em Rondônia. “Operação 3ª Fase”, “Operação 3ª onda”, “Operação Decreto” e “Operação Consciência”, cada uma delas seguindo rigorosamente os critérios adotados por meio dos decretos vigentes conforme as fases estabelecidas. Para o comandante do CBM, coronel Gilvander Gregório de Lima, mais de 1.400 intervenções foram realizadas neste período. “É um balanço muito positivo, com o envolvimento de oito órgãos públicos, aproximadamente 18 viaturas, cerca de 50 pessoas em média fiscalizando, toda a cidade de Porto Velho. Nós estamos em terceiro lugar entre as 28 unidades da federação, em isolamento social, segundo um aplicativo In Loco e isso é um ganho muito grande contra a Covid-19 para evitar a disseminação da doença no Estado”, ressalta o comandante.

Segundo o secretário da Sesdec, coronel Hélio Cysneiros Pachá, a avaliação das ações da Operação Consciência é positiva, quanto ao desempenho dos agentes envolvidos na fiscalização, mas observa que muitos descumprem as medidas de restrições dos decretos. “Nós mudamos um pouco o modo de atuação com o Comando do Corpo de Bombeiros a frente das operações, chegamos a ter oito órgãos envolvidos para impedir festas clandestinas, aglomerações, que estabelecimentos comerciais funcionem após os horários de funcionamento permitido pelo decreto. A maior dificuldade ainda, são as pessoas que não se conscientizaram da letalidade desse vírus e da velocidade de propagação, mas continuam descumprindo”, disse o secretário.

Com o encerramento da Operação Consciência, uma nova está sendo planejada para dar continuidade às ações de enfrentamento à pandemia em Rondônia, buscando reduzir as aglomerações e consequentemente o número de infectados.

Para a ampliação do efetivo de policiamento na cidade durante o período de carnaval, a Polícia Militar conta com apoio também do batalhão de choque, a fim de dar cumprimento mais incisivo ao decreto estadual. ”A Polícia Militar criou o segmento para o enfrentamento especializado que são as PTRC 19, que atuam mais no patrulhamento normal, e fazem esse apoio de acordo com a previsão do decreto estadual,  apoiando o CBM e as demais agências que têm o poder de polícia administrativa. Durante o carnaval, como a gente sabe, muitas pessoas podem querer fazer algum tipo de aglomeração, como festas. Além das patrulhas que estão acompanhando as ações de enfrentamento à Covid-19, temos também o efetivo do Batalhão de Choque. Havendo festas clandestinas, com aglomeração em balneários, chácaras ou em outros locais, o batalhão de choque é acionado para que possa ir ao local fazer a dispersão”, disse o coronel PM Alexandre Almeida, comandante da Polícia Militar do estado.

Fonte: Marina Espíndola Fotos: Ésio Mendes

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️