PUBLICIDADE

Quarta-Feira, 02 de Junho de 2021

“Empresas têm papel social também no trânsito”, afirma coordenador de frota da Energisa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Coordenador de uma frota com cerca de 500 veículos da Energisa Rondônia, Danilo Castro, avalia a importância de políticas que promovam a educação no trânsito e o controle de velocidade. Ele lembra que o excesso de velocidade é uma das principais causas de acidentes do trânsito segundo Organização Mundial da Saúde (OMS). Na concessionária, todos os veículos contam com um equipamento que controla a velocidade e tem limites definidos de acordo com a legislação de trânsito e as regras de segurança adotadas pelo grupo Energisa. Em uma estrada de terra muito irregular, por exemplo, os veículos da empresa não podem passar de 20 km/h e devem utilizar o sistema de tração para os veículos adequados a este tipo de terreno.

“As empresas têm papel social importante também no trânsito. Tanto de conscientizar seus colaboradores, como de dar condições para o cumprimento das regras e também de cobrá-las”, frisa.

Em Rondônia, informações do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) mostram redução de 23,27% no número de acidentes em 2020 em comparação a 2019, mas aumento de 7,2% das mortes no mesmo período. Na Energisa, desde 2019, quando assumiu a gestão da empresa, não houve nenhum acidente com morte. O coordenador da frota ressalta, porém, que a empresa observa os comportamentos dos motoristas para garantir que também os acidentes menos críticos não ocorram.

Ele explica que os sensores instalados em todos os veículos avaliam fatores como intensidade da frenagem, curvas bruscas, velocidade, mudança de marchas entre outros fatores importantes de segurança e economia. Os condutores são pontuados e, caso alguma manobra esteja fora da conformidade, um sinal sonoro é emitido como alerta para a correção. “A velocidade também é controlada e o motorista é orientado a seguir o estabelecido para via. Nas caminhonetes, por exemplo, a velocidade máxima é de 80 km/h em condições normais. Dessa forma, mesmo que aconteça um imprevisto, como um animal atravessar na frente, o condutor tem tempo de reação e espaço para frenagem”, explicou.

“Antes de ser habilitado para dirigir veículos da Energisa, obrigatoriamente os colaboradores fazem curso teórico e prático de direção defensiva oferecido pela própria empresa, onde são reforçados todos os conceitos que aprenderam na autoescola e orientações de condução segura. De acordo com a concessionária, seus veículos transitaram mais de 10 milhões de quilômetros em 2020, o que equivale a 250 voltas em torno da Terra.  “As orientações de direção segura e uso da tecnologia da telemetria reduzem a quantidade de manutenção dos veículos, trazem economia de combustível, mas sobretudo, aumentam a segurança dos nossos colaboradores no dia a dia, que é o nosso principal objetivo”, concluiu Danilo.

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️