PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 04 de Dezembro de 2020

Vacinação contra sarampo, caxumba e rubéola termina sexta-feira

A campanha de vacinação não será prorrogada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Encerra amanhã (13), a campanha da vacina tríplice viral que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Foram distribuídas pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), 80 mil doses para postos de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de todo o estado de Rondônia.

A campanha tem como objetivo resgatar o maior número de crianças e adolescentes na faixa etária de cinco a 19 anos, que precisam iniciar ou completar a carteira de vacinação. A campanha teve inicio no dia 10 de fevereiro.

O governo Federal decidiu, no ano passado, dividir a campanha em duas fases. Cada uma é focada em um público diferente que estaria mais frágil a contrair o sarampo.

O governo de Rondônia alerta a população para manter a imunização de crianças e adolescentes atualizada. O sarampo não tem tratamento, e a principal forma de prevenção é a vacinação.

A Agevisa alerta, ainda, que em virtude da campanha Nacional de Vacinação Contra Influenza, que terá inicio no dia 23 de março,  não será prorrogado a vacinação da tríplice viral.

SARAMPO

É uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas.

Em 2016, o Brasil recebeu certificado de eliminação de sarampo, mas desde 2017, novos casos começaram a surgir. A região Norte foi a mais afetada, entre eles, os estados de Roraima e Amazonas, por estarem na fronteira com a Venezuela.

RUBÉOLA

É uma doença aguda, de alta contagiosidade, que é transmitida pelo vírus do gênero Rubivirus, da família Togaviridae. A doença também é conhecida como “Sarampo Alemão”.

CAXUMBA

É uma infecção viral aguda e contagiosa. Pode atingir qualquer tecido glandular e nervoso do corpo humano, mas é mais comum afetar as glândulas parótidas, que produzem a saliva, ou as submandibulares e sublinguais, próximas ao ouvido.

Fonte: Fonte Elaine Barbosa Fotos: Daiane Mendonça e Arquivo Secom

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️