PUBLICIDADE

Segunda-Feira, 23 de Novembro de 2020

Exportações do agro recuaram em outubro

O produto que puxou as exportações foi o açúcar, com alta de 121%

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O desempenho das exportações do agronegócio teve queda em outubro. O total foi de US$ 8,18 bilhões, o que significou recuo de 6,2% em relação ao mesmo mês do ano passado (US$ 8,72 bilhões).

De acordo com a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, a queda das exportações ocorreu em função da redução de 3,6% no índice de quantum das exportações e de 2,8% no de preço. As importações dos produtos do agronegócio somaram US$ 1,2 bilhão no mês do estudo. O saldo da balança comercial contabilizou US$ 6,9 bilhões. A participação do agronegócio nas exportações totais do Brasil representaram 45,8% do valor total exportado no mês passado, alta de 9,7% em relação ao mesmo mês de 2019.

No mês a maior queda foi na soja em grão, com menos US$ 913 milhões). Por outro lado outros produtos do agro superaram seus resultados e bateram recorde. Foi o caso do açúcar, do álcool e do setor florestal.

As vendas externas de açúcar cresceram 121%, passando de US$ 543,96 milhões em outubro do ano passado para US$ 1,20 bilhão em outubro deste ano. A quantidade exportada de açúcar foi recorde para toda série histórica, com 4,2 milhões de toneladas. A China foi a maior importadora, com registros de US$ 311,74 milhões em aquisições ou 25,9% do valor total exportado pelo Brasil de açúcar. Ainda no setor, houve aumento das exportações de álcool, que chegaram a US$ 184,87 milhões, um avanço de 75,4%. O principal importador foi os Estados Unidos, com US$ 63,91 milhões mas o maior crescimento foi da a Coreia do Sul (US$ 45,79 milhões; +53,6%).

Outro setor que registrou desempenho favorável foi o de produtos florestais. As vendas externas do setor atingiram US$ 1,03 bilhão, alta de 8%. As exportações de celulose subiram 6,3%, chegando a US$ 550,13 milhões. A quantidade exportada de celulose subiu 9,9% na comparação entre outubro de 2019 e 2020, atingindo o recorde de 1,45 milhão de toneladas, porém, a queda do preço médio de exportação em 3,4% impediu um incremento maior do valor exportado.

O produto que teve melhor desempenho no setor de produtos florestais foi o de madeiras e suas obras. Houve registro de US$ 351 milhões em vendas externas, com elevação de 61,7% na quantidade exportada, embora o preço médio de exportação do produto também tenha caído (-20,6%).

Fonte: Eliza Maliszewski

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️